Luz e Arquitetura.

A luz revela-se como elemento de importância primordial, manifestando sua virtude configuradora de formas, sem a qual não é possível valorizar as massas, os espaços ou as superfícies, podendo chegar á modificar radicalmente o caráter arquitetônico de um ambiente.

Leia mais

A Mingrone Iluminação quando do desenvolvimento de trabalhos de projeto sob sua responsabilidade, desenvolve-os dentro das seguintes premissas técnicas:

__dotar os ambientes de níveis de iluminação necessários para que possam ser desenvolvidas as atividades para os quais os mesmos foram projetados, valorizando-se determinadas superfícies;

__criar condições ambientais adequadas sob os aspectos da segurança, do conforto visual e particularmente do uso de energia, a fim de se favorecer o desenvolvimento correto das tarefas visuais, levando-se em conta as exigências próprias impostas pelas correspondentes atividades;

__utilizar incondicionalmente a luz como elemento de definição espacial e valorização das formas, texturas e volumes, integrando as diferentes soluções de iluminação natural e artificial propostas à arquitetura do edifício, ao paisagismo, ou como entorno.


Luz, forma e textura são elementos inseparáveis na definição e compreensão da obra arquitetônica.

A busca por sistemas de iluminação de qualidade, assim como a opção pelas fontes artificiais de luz de maior eficácia energética, deve ser atualmente considerada como os dois principais pontos a serem observados no desenvolvimento de um projeto de luminotécnica.

O sistema de iluminação é uma das primeiras decisões a serem tomadas no desenvolvimento de um projeto arquitetônico de um edifício.

Atualmente, constata-se que a quantidade de energia elétrica consumida em edifícios industriais, comerciais, de escritórios, de serviços, e mesmo residenciais, pode ser desnecessariamente excessiva. O referente à iluminação artificial corresponde a uma parcela significativa da mesma.

Sempre que possível, a iluminação artificial, sob forma suplementar da luz natural, constitui-se em excelente alternativa de projeto, propiciando condições para a redução do consumo de energia necessária para a operação dos edifícios.

Os sistemas de iluminação artificial permitem um aproveitamento mais eficiente dos ambientes, sem desconsiderar a aplicação de superfícies envidraçadas capazes de proporcionar também a devida comunicação com o ambiente externo e satisfazer condições particulares de conforto visual e térmico.

Um edifício projetado para funcionar com eficiência sob todas as exigências de conforto ambiental, constitui-se em interesse direto de seus usuários. Porém, o funcionamento total eficiente e ambientes interiores em condições ótimas de conforto somente são conseguidos mediante a compatibilização e atendimento das exigências combinadas, sob os pontos de vista da acústica e da climatização natural e/ ou artificial dos recintos, associadas às respectivas necessidades de iluminação.

O desenvolvimento do projeto de luminotécnica é sempre um trabalho complexo, consideradas não só a grande variedade de formas e tratamento arquitetônico dos ambientes, como as distintas exigências requeridas para iluminação das diferentes áreas que compõem um edifício com seus espaços exteriores.